Arquivo da categoria: Saúde

Campanha Nacional de Vacinação começa nesta segunda-feira (23)

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza 2018 tem início nesta segunda-feira (23) e prossegue até 1° de junho, sendo 12 de maio o “Dia D” de mobilização nacional. De acordo com a Coordenação Estadual de Imunizações (CEI) da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), a estimativa é vacinar mais de 54,4 milhões de pessoas em todo o país e 879.430 no Rio Grande do Norte, tendo como meta vacinar, pelo menos, 90% dos grupos prioritários.

Fazem parte dos grupos elegíveis para a vacinação as crianças na faixa etária de seis meses a menos cinco anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), indivíduos a partir dos 60 anos, trabalhadores da saúde, professores de escolas públicas e privadas, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional.

Segundo Katiucia Roseli, coordenadora estadual de Imunizações, “a Sesap está concentrando esforços, por meio da CEI e das Unidades Regionais de Saúde, para que os municípios vacinem o máximo possível de pessoas pertencentes aos grupos prioritários. A ideia é que assim se possa reduzir as internações, complicações e óbitos causados por influenza”.

Campanha nacional de vacinação contra gripe começa dia 23 no RN

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza 2018 será realizada no período de 23 de abril a 1° de junho, sendo o 12 de maio o ‘Dia D’ de mobilização. De acordo com a Coordenação Estadual de Imunizações (CEI), a estimativa para esta edição é vacinar mais de 54,4 milhões de pessoas em todo país. No Rio Grande do Norte, a expectativa é imunizar 879.430 pessoas, tendo como meta atingir 90% dos grupos prioritários.

Fazem parte dos grupos elegíveis para a vacinação:

  • Crianças na faixa etária de seis meses a menos de 5 anos de idade
  • Gestantes
  • Puérperas (até 45 dias após o parto)
  • Indivíduos a partir dos 60 anos
  • Trabalhadores da saúde
  • Professores de escolas públicas e privadas
  • Indígenas
  • Portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais
  • Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas
  • População privada de liberdade
  • Funcionários do sistema prisional

Segundo Katiucia Roseli, coordenadora de Imunizações, “em 2017, o RN vacinou 85,7% desta população, e para este ano a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) está concentrando esforços, por meio da CEI e das Unidades Regionais de Saúde, para que os municípios vacinem o máximo possível de pessoas pertencentes aos grupos prioritários. A ideia é que assim se possa reduzir as internações, complicações e óbitos causados por influenza”.

Influenza

A influenza, mais conhecida como gripe, é uma doença respiratória infecciosa de origem viral que pode levar ao agravamento e à morte, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção (crianças menores de 5 anos de idade, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais).

Mortes

De acordo com a Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica da Sesap, este ano, nos meses de janeiro e fevereiro foram notificados 18 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave, com duas mortes confirmadas. (Com informes do G1RN)

 

“Campanha da Voz do RN” começa neste domingo em Natal

Simples cuidados para manter a saúde vocal é importante e fácil. Se engana quem acha que preocupar-se com isso é apenas para comunicadores, artistas ou cantores. E a “20ª Campanha Nacional da Voz 2018” chega para esclarecer e inteirar a necessidade de hábitos saudáveis às regiões da faringe e laringe. Em Natal-RN, intitulada de “Campanha da Voz do RN”, do dia 15 a 20 deste mês, a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP), Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCCF) e a Academia Brasileira de Laringologia e Voz (ABLV) se unem para promover ações preventivas e educacionais desenvolvidas em espaços públicos e privados, shoppings, na Liga Contra o Câncer e no Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL).

Com o tema “Afine a Sua Saúde – Cuide da Sua Voz” profissionais da saúde e institutos parceiros realizam atividades de orientação e diagnóstico precoce de distúrbios da voz e enfermidades que compreendem a área da faringe e laringe. Na capital potiguar, o presidente da SBCCP, Dr. Luís Eduardo Barbalho de Mello, um dos responsáveis pela realização do evento, comenta sobre a importância da campanha, “Participar de uma Campanha dessa magnitude é motivo de orgulho, reconhecimento e contribuição às melhores condições de saúde da população brasileira. O diagnóstico correto e o tratamento adequado influenciam diretamente na sobrevida e na qualidade de vida dos pacientes”, explica Dr. Luís Eduardo Barbalho.

Na programação, o primeiro dia (15) é na Praia de Ponta Negra, onde acontece a Caminhada de Conscientização, a partir das 9h30. Alunos e profissionais estarão presentes para tirar dúvidas sobre mitos e verdades correlacionados ao assunto. Enquanto a Abertura Oficial fica para segunda-feira (16), às 19h, na Associação Médica do RN, localizada na Av. Hermes da Fonseca, 1396 – Tirol, com palestras gratuitas direcionadas à população em geral e aos profissionais da voz.

Na terça-feira (17), acontece o Plantão da Voz, com apresentação do Coral Voz do Amor e orientações aos funcionários, pacientes e acompanhantes, das 9h às 11h, na Liga Contra o Câncer. E na quarta-feira (18), profissionais e pacientes da Universidade Potiguar (UnP), Campi Salgado Filho, recebem triagem e orientações vocais no período da tarde.

Já na quinta-feira (19), das 17h às 19h, o Natal Shopping será espaço para uma intervenção educativa, com apresentações também do Coral Voz do Amor, além de atividades conscientizadoras. Por fim, na sexta-feira (20), no HUOL aufere o Mutirão da Voz, com avaliações através de exames efetivados por cirurgiões de cabeça e pescoço e otorrinolaringologistas na detecção precoce de patologias da laringe.

Profissionais do Walfredo Gurgel ensinam como manter hábitos mais saudáveis

Neste sábado (7) é comemorado o Dia Mundial da Saúde e o tema escolhido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) foi “Saúde para todos”. Com base no tema da campanha, profissionais de diferentes áreas do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel (HMWG) ensinam como adotar e manter hábitos mais saudáveis e, consequentemente, adquirir uma melhor qualidade de vida.

A fisioterapeuta e chefe do setor de reabilitação, Edja Bonifácio, diz que os problemas de articulação e postura podem ser gerados em casa ou no ambiente de trabalho. A boa notícia é que é possível evita-los com medidas simples no dia a dia. Segundo ela, “em nossa rotina é preciso procurar manter uma postura correta no desenvolvimento de nossas atividades, em casa ou no trabalho”, diz.

Em casa, uma posição errada para dormir pode causar problemas na postura. “Temos de ter o cuidado de sempre alinhar os seguimentos corporais (a cabeça alinhada a coluna). Para isso, são de extrema importância: um bom colchão e um bom travesseiro, que não se deformem com o tempo”, alerta. No trabalho, a atenção deve estar voltada para as roupas, móveis e outros utensílios necessários ao desenvolvimento das atividades. “As roupas no trabalho devem ser confortáveis. A ergonomia dos móveis deve ser adequada a cada pessoa. É preciso ter certeza que todos estes fatores estão de acordo com a função exercida”, orienta.

“A hidratação diária é uma excelente maneira de prevenir problemas com a voz”. É o que ensina a fonoaudióloga, Marina Ferreira. “Beber líquidos regularmente, pequenos goles durante o dia, é imprescindível para manter a saúde vocal”. Outro conselho da fonoaudióloga é quanto aos exageros vocais: “é preciso evitar os abusos ou mal uso da voz. Evitar gritar, pigarrear, falar excessivamente sem pausas, não fazer uso do cigarro ou do álcool em excesso e não querer se sobressair a ruídos externos extremamente altos, como um carro de som”, explica.

O chefe da Cirurgia Geral, Ariano Oliveira, chama a atenção para um grave problema causado pela obesidade em pacientes que necessitam ser submetidos a procedimentos invasivos, em especial, em situações de urgência. “A gordura em excesso dificulta qualquer procedimento cirúrgico. Sem contar que um paciente com sobrepeso corre mais riscos de não resistir a uma cirurgia longa que uma pessoa que está no seu peso ideal. Esse é um problema de saúde que pouco se discute e que muitas pessoas não se dão conta da gravidade. Temos uma boa parcela da população no RN com sobrepeso. É preciso que as pessoas procurem sempre uma alimentação mais saudável, realizar atividades físicas e manter o peso sob controle”.

Atuando no Pronto Socorro Clóvis Sarinho (PSCS), o médico Clínico Geral, Gustavo Medeiros, atende a uma alta demanda de pacientes que apresentam problemas graves de circulação, ocasionados pelo diabetes, especialmente nos membros inferiores, os chamados “pés-diabéticos”. Assim como Ariano, para ele a atividade física regular, a alimentação correta, fazer checkups (exames) regularmente e o controle do peso são os fatores primordiais para evitar o desenvolvimento do diabetes. Para quem já desenvolveu a doença, Gustavo orienta: “a pessoa que possui diabetes deve ter uma atenção especial com os membros inferiores. Usar sempre um calçado que proteja o pé por completo e evitar ao máximo andar descalço”. Ele recomenda ainda que o portador do diabetes faça o exame do pé, uma vez por semana. “É preciso ter muito cuidado com pedicure e evitar remoção profunda de cutícula”. Por fim, ele adverte: “a qualquer sinal de lesão, buscar imediatamente assistência em um posto, Unidade Básica de Saúde (UBS) ou em uma unidade de Saúde da Família”.

Problemas de sobrepeso também poder estar relacionados a uma disfunção na produção do hormônio TSH, produzido pela tireoide.  É o que alerta o endocrinologista, Tadeu Alencar. “Se uma pessoa está apresentando fraqueza, ganho de peso, anemia e queda de cabelo, ela pode estar com a produção baixa desse hormônio (hipotireoidismo). E se ela estiver emagrecendo muito, com taquicardia e insônia, pode estar com a produção muito alta (hipertireoidismo). A maneira segura para detectar se alguém desenvolveu algum desses problemas é o exame que mede os níveis de TSH no sangue. A verificação é realizada em clínicas e laboratórios.

Ainda segundo Tadeu, cerca de 8% da população do Rio Grande do Norte (RN) é portadora do diabetes. E o mais grave: apenas metade sabe que possui a doença. Para quem está acima do peso, possui histórico familiar ou não consegue evitar doces e massas, é bom ficar vigilante e realizar regularmente o teste da ponta do dedo (HGT). A verificação está disponível em qualquer posto de saúde, Unidade Básica de Saúde (UBS), farmácias ou através de alguma estratégia de saúde da família.

“A obesidade é uma epidemia mundial. Nos Estados Unidos, 60% da população tem sobrepeso. No Brasil, esse índice chega a 50%”, revela. Dentre as consequências de estar muito acima do peso, o endocrinologista chama a atenção para os perigos do Acidente Vascular Cerebral (AVC), o câncer, infarto e distúrbios hormonais.

A boa notícia é que é possível identificar quando uma pessoa corre o risco de desenvolver alguma destas doenças. Com o uso de uma fita métrica, dar a volta na região do umbigo. Se a circunferência der acima de 94cm (para homens) ou de 88cm (para mulheres) a pessoa já está em risco de desenvolver algum desses problemas. “O ideal é uma circunferência abaixo de 90cm (para homens) ou de 80cm (para mulheres). Uma pessoa que consegue perder 10% do seu peso, já diminui consideravelmente o risco destas complicações”, explica Alencar.

A chefe da Divisão de Nutrição, Maria Elisa Diógenes, também recomenda a adoção de hábitos alimentares, de forma equilibrada. Para ela, ter qualidade de vida representa um desafio para muitas pessoas porque não engloba só a saúde física e mental, mas também a saúde espiritual, a educação, além do equilíbrio entre o lado pessoal e profissional. “E a partir daí, podemos elencar algumas dicas de como viver melhor, como: não fumar, não beba em excesso, evitar ambientes com ruído intenso, alimentação correta variada e balanceada, principalmente, rica em fibras e baixo teor de gorduras saturadas – que elevam o colesterol (HDL) –  ter um sono adequado (procurando dormir cedo e acordar cedo), além de realizar atividade física, traçando metas e objetivos”. Ainda segundo Elisa, manter uma rotina de exercícios contribui sobremaneira para aumentar a disposição, controlar doenças como a hipertensão e o diabetes, além de baixar os níveis de stress.

Outras sugestões da nutricionista:

02 – Fazer as seis refeições de forma equilibrada, seguindo sempre a pirâmide alimentar

03 – Ingerir dois litros de água por dia

04 – Mastigar bem os alimentos

05 – Evitar deitar após as refeições

06 – Evitar o sal, frituras, guloseimas e álcool

07 – Dar preferência aos alimentos naturais, principalmente frutas e verduras

10 – Evitar o consumo de enlatados e embutidos

Farmácia Popular garante mais acesso e não muda para usuário

O Ministério da Saúde publicará na próxima semana uma portaria que elimina as distorções de preços pagos por medicamentos do Farmácia Popular pelo governo federal. Alguns produtos estão com valores mais de 200% acima do mercado. Para o usuário, não haverá nenhuma mudança, que permanece retirando o seu produto gratuitamente. A medida é resultado de um estudo com base no Sistema de Acompanhamento de Mercado de Medicamentos (Sammed), que aponta que os valores pagos pela pasta em 22 medicamentos estavam defasados ou acima do praticado pelo mercado. Será garantido uma margem de 40% às unidades credenciadas, ou seja, de praticamente R$ 1 bilhão.  Para o Ministério da Saúde, o reajuste deve gerar uma economia de até R$ 800 milhões, que será integralmente revertido em mais acesso aos serviços e produtos da saúde.

Para chegar ao novo número, o Ministério da Saúde levou em conta o valor informado no sistema Sammed referente à revenda das indústrias farmacêuticas para as farmácias e distribuidoras. Em cima desse valor, serão acrescidos 40% de margem para as credenciadas no programa e somado o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que varia de estado para estado. Anteriormente na venda dos produtos, eram obedecidas as regras da CMED (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos) a qual regula o mercado, e estabelece critérios para a definição e o ajuste de preços de medicamentos. Somente em 2017, os gastos como programa totalizaram R$ 300 milhões a mais do que o previsto inicialmente porque atendem conforme demanda do usuário, não atendendo ao planejamento orçamentário.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, conduziu pessoalmente três encontros com o setor farmacêutico. Apresentou que alguns produtos estavam com valores 200% acima do mercado e outros representavam prejuízos para a rede. Diante da recusa dos representantes de ajustar as distorções, a pasta definiu o padrão nacional de remuneração.

Além do valor para as drogarias credenciadas, o programa atrai cerca de 10 milhões de usuários para os estabelecimentos privados. Atualmente, cerca de 31 mil unidades estão ativas no programa. Estima-se que haja outras cerca 50 mil que desejam ingressar no Farmácia Popular, o que garante que, caso as unidades atuais não se adequem às novas regras, as demais podem ser autorizadas a ocupar a distribuição dos medicamentos.

Além da nova medida, a pasta contratará um sistema de monitoramento e antifraude para combater as irregularidades na execução do Farmácia Popular. Segundo o estudo, fraudes podem representar cerca de 10% dos custos, que hoje são de cerca de R$ 2,8 bilhões. Em 2016, das auditorias realizadas pela DENASUS, cerca de 40% tiveram relação com o Programa e em apenas uma farmácia não foi detectada irregularidade. Os processos indicaram devolução de quase R$ 60 milhões aos cofres públicos devido à dispensações impróprias de medicamentos.

Atualmente, o Ministério da Saúde gasta mais de R$ 800 milhões com o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que variam de 12% a 20% conforme a Unidade da Federação. O programa Farmácia Popular possui mais de 31 mil drogarias credenciadas em 4.342 municípios, estando presente em 78% do território brasileiro.

Páscoa para Diabéticos: como aproveitar as delícias desta época sem elevar a glicemia 

Abril chegou, a Páscoa já está aí e os supermercados estão repletos de ovos de chocolate em suas gôndolas. Porém, como os diabéticos podem aproveitar esta época de muito açúcar? De acordo com a nutricionista do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Cintya Bassi, é possível consumir pequenas porções de chocolate sem que haja um descontrole da glicemia, porém o ideal é que sejam opções de chocolate meio amargo ou amargo, já que utilizam quantidades menores de açúcar e apresentam nutrientes que favorecem à saúde. 

“A quantidade aconselhável para o diabético comer de chocolate ao leite é de no máximo 25g, o que equivale a quatro quadradinhos de um tablete ou um bombom. Isso desde que a glicemia esteja controlada”, esclarece a profissional. “Uma dica é consumir o chocolate após as refeições, substituindo uma sobremesa, assim ajuda a evitar picos glicêmicos, já que as fibras do prato principal fazem com que a absorção não seja tão rápida”.

E quanto ao chocolate diet? “Se for consumido de maneira moderada, pode ser oferecido ao diabético, pois embora sejam isentos de açúcar, podem ser rico em gordura”, explica a nutricionista. Por isso, para aqueles que optam pelo diet com foco em não engordar é melhor trocar pelo amargo ou meio amargo, já que o acréscimo de gordura é bem menor do que no dietético, sendo mais saudáveis. 

Quanto aos tentadores ovos de colher, a boa notícia é que também existem opções deles na versão diet. “Os diabéticos podem aproveitar a Páscoa junto com os demais familiares, desde que sempre atentos às quantidades saudáveis e que não desequilibrem a glicemia e o organismo como um todo”, finaliza Cintya.

Colomba Pascal Diet

Ingredientes:

30 gramas de fermento biológico
4 ovos
1 xícara(chá) de adoçante culinário
1 pitada de sal
50 gramas de margarina light
1 colher (café) de essência de baunilha
Raspas de laranja a gosto
¾ xícara (chá) de água morna
500 gramas de farinha de trigo
½ xícara (chá) de damascos picados
½ xícara (chá) de castanhas de caju picadas
½ xícara (chá) de uvas passas escuras sem sementes

Ingredientes da Cobertura: 
1 clara
50 gramas de castanhas de caju moídas amêndoas laminadas

30 g de castanha de caju triturada
4 colheres(sopa) de adoçante culinária

Preparo: Bata no liquidificador todos os ingredientes menos a farinha. Retire e passe para um recipiente acrescentando a farinha de trigo aos poucos. Misture bem e deixe crescer até que dobre o volume. Passado esse tempo acrescente o damasco, as castanhas de caju, e as passas. Misture bem as frutas à massa e coloque em duas formas próprias para colomba pascal. Leve para assar em forno pré-aquecido a 180° por aproximadamente 40 minutos. Retire do forno e espalhe a cobertura.

Para a Cobertura; misture tudo muito bem e passe por cima da colomba, voltando ao forno já desligado, porém quente.

Nutricionista explica os principais benefícios da água ao metabolismo e os riscos da desidratação

Dia 22 de março é comemorado o Dia Mundial da Água. A data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) para conscientizar sobre a importância de utilizar este recurso natural de maneira responsável. De acordo com a nutricionista do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Cintya Bassi, diariamente o organismo humano necessita de aproximadamente 1 litro a cada 35 kgs, variando de acordo com o clima do dia e idade da pessoa. Segundo Cintya, a água tem o papel fundamental de transportar diversos nutrientes necessários no corpo.

“Compondo mais de 60% de nossos corpos, a água participa de praticamente todas as funções, auxiliando, ainda, na eliminação de toxinas e filtração renal. Isso melhora até mesmo a aparência da pele, diminuindo a ocorrência de celulites e rugas, sem contar que beneficiam as fibras de colágeno que sustentam a pele e precisam de água para se renovarem”, comenta a nutricionista. De tal forma, a ingestão de líquido no decorrer do dia é imprescindível, tanto por meio de alimentos, quanto bebidas. “Os alimentos que mais contém água são legumes, frutas, leite e carnes. Porém, essa não deve ser a única forma de hidratação, também devendo ingeri-la em sua forma pura, sucos e água de coco”, orienta.

Uma dúvida que as pessoas costumam ter é se a água com gás também é considerada saudável. A profissional explica que, assim como a mineral, a com gás é uma importante aliada à hidratação. “A diferença entre as duas é o fato da água com gás ter adição de dióxido de carbono, o qual se consumido em grandes quantidades pode causar irritação gástrica”, esclarece. Mesmo quando estamos sem sede, é aconselhável beber água,“em condições normais, a sede é um bom lembrete da necessidade de bebê-la. Porém, em situações especiais, como transpiração excessiva ou clima quente, a sensação de sede pode não acompanhar a necessidade”, comenta. Quando a ingestão de água é insuficiente, o organismo pode apresentar sintomas de desidratação, como boca e pele seca, olhos fundos, cansaço, dor de cabeça, tontura, entre outros. Em casos graves, pode até evoluir para queda de pressão arterial, perda de consciência, convulsão, coma, falência dos órgãos e morte.

“O organismo não é capaz de armazenar água, por isso a quantidade de líquido no corpo precisa ser constantemente reposta. Lembrando que, depois do oxigênio, a falta de água é o que mais afeta o organismo, que só suporta ficar sem água até, no máximo, dois ou três dias”, alerta. De acordo com Cintya, a água só é limitada em caso de hiponatremia – nível baixo de sódio no sangue, o qual é diluído ainda mais na presença de água em excesso – insuficiência renal ou cardíaca. Também durante as refeições o ideal é ingerir pouco líquido, pois, se consumirmos mais de um copo, pode dilatar o estômago.