Arquivo da categoria: Cultura do RN

Macaíba incluída na primeira mostra de cinema do Sesc

A 1ª Mostra Sesc de Cinema vai começar a exibir gratuitamente no Rio Grande do Norte os 34 curtas e longas metragens vencedores, oriundos das cinco regiões do país – incluindo dois curtas potiguares. A estreia será em Natal nesta quarta-feira (21 de fevereiro), às 18h30, no Sesc Cidade Alta. A iniciativa do Serviço Social do Comércio (Sesc RN), instituição do Sistema Fecomércio, circulará em março nas cidades de Mossoró, São Paulo do Potengi, Caicó, Macaíba e Nova Cruz. Em Macaíba, os filmes serão exibidos entre os dias 12 e 16 de março.

Na capital, a abertura contará com um bate-papo com cineastas e equipes dos curtas potiguares selecionados pelo concurso nacional do Sesc: “O menino do dente de ouro” e “Ainda não lhe fiz uma canção de amor”, além de diretores à frente de algumas obras exibidas. A Mostra fica em cartaz até dia 27 de fevereiro no Sesc Cidade Alta.

Em Mossoró e São Paulo do Potengi, a 1ª Mostra Sesc de Cinema exibe filmes de 5 a 9 de março; em Caicó, de 5 a 16 de março. Em Macaíba e Nova Cruz, a população poderá assistir aos filmes entre os dias 12 e 16 de março. As exibições são gratuitas e acontecem em horários variados, sempre na unidade Sesc do município.

A programação de filmes por cidade está disponível no site do Sesc RN, o www.sescrn.com.br.

Sobre a Mostra Sesc de Cinema

A Mostra Sesc de Cinema pretende difundir a produção cinematográfica brasileira que não chega ao circuito comercial de exibição, sendo um espaço de lançamento e promoção de artistas de todo o país.

Além da premiação com um contrato de licenciamento, a Mostra certifica os destaques de melhor roteiro, filme, direção de fotografia, desenho de som, direção de arte, direção de elenco e montagem.

Na edição 2016/2017, primeira do projeto, 1.250 filmes foram inscritos. Destes, 957 foram habilitados a participar do concurso, sendo 640 oriundos das capitais e 317 das cidades do interior dos 27 estados brasileiros. 121 filmes foram premiados nas mostras estaduais, com licenciamento para exibição no âmbito de seus estados de origem e indicados para concorrer à vaga na mostra nacional. O resultado da 2ª Mostra Sesc de Cinema (2017/2018) será divulgado no segundo semestre de 2018.


Cine Sesc

Além de mostras temporais, o Sesc atua sistematicamente na área audiovisual com exibições de filmes que não entram nos circuitos comerciais de cinema. As obras, com classificações indicativas e gêneros variados, são exibidas gratuitamente em todas as unidades Sesc do estado. A programação mensal está sempre disponível no site da instituição.

Inscrições abertas para 15º Prêmio Sesc de Literatura

Estão abertas até dia 16 de fevereiro as inscrições para o 15º Prêmio Sesc de Literatura. O concurso nacional selecionará duas obras inéditas nas categorias conto e romance, a serem publicadas e distribuídas pela Editora Record.  Os autores interessados devem acessar o site www.sesc.com.br/premiosesc, no qual constam o edital e o formulário de inscrição.

Em 2017, um autor potiguar venceu pela primeira vez o Prêmio Sesc de Literatura: o mossoroense José Almeida Júnior teve seu romance Última Hora selecionado entre 980 obras inscritas. Nestes 15 anos, a premiação já revelou ao mercado literário 25 novos escritores. Além da publicação do livro, os vencedores participam de diversos eventos do Sesc, como cafés literários no Sesc Paraty durante a Flip e bate-papos entre autores pelo projeto Arte da Palavra, que circula por todo o país. O concurso cumpre um importante papel na área cultural, proporcionando uma renovação no panorama literário brasileiro.

Para participar, o candidato deve acessar a internet para preenchimento do formulário de inscrição e inserção de sua obra digitalizada. O autor pode concorrer nas duas categorias – conto e romance –, desde que tenha obras nunca publicadas em ambas, inclusive em plataformas online. Neste caso, as inscrições são realizadas separadamente.

Todos os trabalhos são submetidos à avaliação das comissões julgadoras, compostas por escritores, especialistas em literatura, jornalistas e críticos literários definidos pelo Sesc. Os vencedores serão anunciados em junho de 2018. Informações adicionais podem ser obtidas junto à organização do Prêmio pelo e-mail literatura@sesc.com.br.

Fiart começa nesta sexta-feira no Centro de Convenções, em Ponta Negra

A tradicional Feira Internacional de Artesanato (Fiart), realizada há 23 anos no Rio Grande do Norte, acontecerá entre os dias 19 e 28 de janeiro, no Centro de Convenções, em Natal. O evento que reúne produtos de todo o Brasil e outros países, contará mais uma vez com a participação dos artesãos potiguares. Ao todo, 205 artesãos foram selecionados através de um edital da secretaria do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas) para comercializar os produtos na feira.

Na manhã a última quinta-feira (11), o governador Robinson Faria participou do lançamento da 23ª edição do evento e destacou as ações do governo para impulsionar o artesanato potiguar. “No ano passado, sancionamos a Lei do Artesão para fortalecer e fomentar o desenvolvimento do setor, estabelecendo que 60% dos produtos comercializados no estado, sejam de profissionais do Rio Grande do Norte. É um avanço importante para melhorar as condições de trabalho dos cerca de 20 mil artesãos potiguares”, informou o governador.

O chefe do Executivo estadual ainda explicou que o governo investiu mais de R$ 2 milhões para realizar e viabilizar a participação dos artesãos em feiras locais e nacionais. “Em 2017, os dois mil artesãos potiguares cadastrados no Programa Estadual de Artesanato, faturaram R$ 1,8 milhões. Incrementamos a atividade e oferecemos mais oportunidades de emprego e renda através do que temos de melhor, a cultura e arte do Rio Grande do Norte”, detalhou Robinson. Ele ainda acrescentou que em breve será entregue o Shopping do Artesão, em Caicó, e revitalizado o Papa Jerimum, em Natal.

Dos 300 estandes desta edição, 84 serão destinados para os produtores manuais do RN, representando um espaço de 1.020 metros quadrados.

“Iniciativas como a Fiart precisam ser apoiadas e estimuladas porque divulgam e valorizam nossa cultura, abrindo novas oportunidades de negócios e criando novos atrativos para o turismo”, ressaltou o secretário da Sethas, Vagner Araújo.

O organizador da Feira, Neiwaldo Guedes, destacou que o evento contempla artesanato de diversos estados e países, mas que os produtos potiguares são a maioria. “Quem visitar a feira já será recepcionado pela arte do Rio Grande do Norte. O setor cresce cada vez mais estado e por isso, um espaço maior está sendo destinado para esses artesãos. É uma forma de valorizar nossa arte e colaborar com a economia do nosso estado”.

Sobre a 23ª Fiart

Esta edição terá como tema “Arte Sacra. Tradição de fé que esculpe oportunidades”. A área do evento será dividida em seis salões especiais, sendo Arte Sacra, Bordados, Arte Popular, Cerâmica, Cestaria e Salão Nacional. Haverá também Festival Folclórico, programação cultural diversificada e praça de alimentação. Durante os 10 dias da Fiart 2018, são esperadas mais de 70 mil visitantes. Em 2017, a Feira movimentou R$ 9,7 milhões com a venda de produtos e a promoção do artesanato.

Centro Administrativo sedia Cantata para os Santos Mártires na terça-feira (19)

Nesta terça-feira (19), o Centro Administrativo recebe a Cantata para os Santos Mártires em uma encenação especial em frente à Governadoria. A apresentação será iniciada às 19h e terá a participação de grupos de corais. A entrada é gratuita.

O musical narra a história dos mártires católicos de Cunhaú (hoje Canguaretama) e depois Uruaçu (São Gonçalo do Amarante) que foram assassinados por se recusarem a se converterem ao calvinismo.  Um dos destaques do musical são os figurinos e adereços assinados por Ricardo San Martini que recriou as vestimentas de colonos, índios e holandeses.

A Cantata é dirigida por Diana Fontes, com texto e música de Danilo Guanais (baseado em escritos do padre Murilo, Monsenhor Herôncio e Valério Mesquita), projeção mapeada de Wil Amaral e produção de Danielle Brito, e apresenta 50 atores e pessoas do coro no palco.

O espetáculo é uma realização do Governo do Estado, através da Fundação José Augusto, Governo Cidadão, com patrocínio do Banco Mundial, em conjunto com a Secretaria de Estado do Turismo (Setur) e Secretaria de Trabalho, Habitação e Ação Social.

Projeto Casa das Palavras chega a São Miguel do Gostoso

São Miguel do Gostoso será a 3ª das doze cidades que receberão as oficinas, apresentações culturais, a minibiblioteca e os encontros com escritores, poetas e vários outros artistas. O Projeto Casa das Palavras chega ao município nos dias 5 e 6 de dezembro (terça e quarta-feira) e cercará a cidade de ondas culturais e educativas. As ações são gratuitas e acontecerão na escola municipal Ana Ribeiro e na escola Estadual Olímpia Teixeira.

Na ocasião, serão oferecidas oficinas  de contação de estórias,  dança de rua e  mamulengo, e a instalação da minibiblioteca na praia de Xepa, onde na quarta-feira, 06, acontecerá o encerramento do evento com uma grande noite cultural. As inscrições estão abertas e podem ser feitas na Secretaria Municipal de Educação.

Um dos objetivos das oficinas da Casa das Palavras é promover o intercâmbio cultural entre os artistas e educadores, atuando no aperfeiçoamento dos participantes.  O projeto  também prevê a instalação de minibibliotecas em cada um dos municípios que recebem as atividades. Elas são colocadas em lugares públicos para estimular a leitura por meio da doação e troca de livros.

Sobre o Projeto:

A “Casa das Palavras – Luz, cultura e movimento” dissemina e fortalece a cultura do Rio Grande do Norte a partir de três linhas de ação: instalação de minibibliotecas (em forma de casinhas de madeira) para compartilhamento de livros; realização de oficinas de formação em áreas como contação de estórias, teatro, coral, escrita literária, mamulengo, xilogravura, artesanato,  fotografia e vídeo; e realização de palestras, recitais poéticos e espetáculos culturais em espaços públicos.

Com a confirmação do patrocínio do Governo do RN – Lei Câmara Cascudo, e  das empresas Cosern, NET e Claro, foi definido o roteiro por onde vai passar o projeto Casa das Palavras no Rio Grande do Norte. O projeto,  que tinha previsão inicial de chegar a dez municípios nessa próximatemporada, incorporou mais outras duas cidades – totalizando doze municípios beneficiados: Macau e Apodi (novembro/2017); São Miguel do Gostoso  e Angicos (dezembro/2017); Nova Cruz, Brejinho e Santo Antônio do Salto da Onça (janeiro/2018);  Caicó (março/2018); Natal (abril/2018); São Tomé e Lagoa Nova (maio/2018); e Santana do Matos (junho/2018).

Minibibliotecas – Onde os livros ganham asas

As pequenas bibliotecas para compartilhamento de livros são construídas no formato de casinhas coloridas de madeira instaladas em pontos de maior circulação de pessoas nas cidades. Já existem minibibliotecas instaladas em praças, canteiros, em frente a escolas, próximas às paradas de ônibus e às instituições culturais.

Cada minibiblioteca contará com um acervo inicial mínimo de 50 livros. Todos esses livros serão novos e adquiridos pelos autores ou editoras instaladas no Rio Grande do Norte. O projeto estimula também a participação direta das pessoas através da idéia “Pegue um livro e  deixe um livro”.

Até julho de 2018 o Rio Grande do Norte contará com cerca de 60 minibibliotecas instaladas em diferentes municípios do estado. A Casa das Palavras tem o patrocínio das empresas Cosern, NET, Claro e Governo do RN, através da Lei Câmara Cascudo de Incentivo à Cultura.

Espetáculo “Meu Seridó” estreia dia 30 e vai percorrer diversos bairros de Natal

Sonhado pela atriz Titina Medeiros, com direção de César Ferrario, texto de Filipe Miguez e grande elenco, “Meu Seridó” estreia no dia 30 de novembro no Tecesol, em Neópolis, e depois percorre diversos bairros de Natal com entrada gratuita.

 O sertão que vibra, pulsa e faz viver. O sertão das mulheres esquecidas e das mulheres que sonham. O não lugar, como escreveu Guimarães Rosa, o sertão que é seca e água, e é também o espaço da imensidão. Com fortes questões norteadoras, o espetáculo “Meu Seridó” traz a condição da mulher no sertão, a extinção do indígena em detrimento do boi e a desertificação, na luta diária pela sobrevivência como força bruta do ser.  Sonhado pela atriz Titina Medeiros, a peça tem direção de César Ferrario e texto de Filipe Miguez (autor da novela Cheias de Charme). Como o próprio autor escreveu: “A nossa história acontece em algum lugar entre a realidade, o delírio e a nostalgia”.

Acompanhada pelos atores Nara Kelly, Igor Fortunato, Caio Padilha – assinando também a trilha sonora – e Marcílio Amorim, Titina fez ao lado da equipe uma árdua pesquisa histórica,  conduzidos pela historiadora Leusa Araújo, através de imersões no próprio Seridó. Natural de Acari, Titina sonhou com esse espetáculo por anos, reunindo as suas vivências e coragem para retirar do próprio solo a história de vida de muitos sertanejos.

Para o diretor César Ferrario, a narrativa é constituída por uma linguagem de cunho popular para chegar em todas as pessoas e lugares, e tem uma estrutura que permite a montagem em ruas, fazendas, praças e diferentes paragens. “A nossa narrativa não tem um compromisso histórico. Ela tem seu início através de uma menção ao plano mítico do Seridó, onde o Sol e a Terra disputam o amor de Chuva, uma fábula muito coerente com as questões que atravessam toda a história de qualquer lugar sertanejo e seu imaginário. A partir disso, ela transita pela história do Seridó em seus espelhamentos terrenos, desde a chegada do homem andino até a vinda do vaqueiro e do português. O entrelaçamento dessas raças perpassa as história que vão sendo contadas ao longo do espetáculo”, conta César.

Personagens como José de Azevedo Dantas, Pajé Cuó, o português Rodrigo de Medeiros, a Maria Paraibana e Josefa Menina são as personificações da história que transpassa o imaginário da região.

A força do texto está nos personagens, como a fala de Maria Paraibana que diz: “Tu vai crescer neste meio, no seio de nossa família. Neste arquipélago seco, cada sítio é uma ilha. Neste clima inóspito e esdrúxulo, teremos de nos bastar/Numa casa de taipa sem luxo, nem acesso ao copiar. Tu vai viver só restrita à sala das mulheres/E passar o dia e a vida tomada por mil afazeres/Rendas, bordados, costuras serão tua eterna lida”.

São essas questões, forças e vidas que estão bordadas num figurino, cenografia e caracterização assinados por João Marcelino, parceiro de longa data de Titina com quem trabalhou no grupo “Tambor” ainda na década de 90.  A iluminação é feita por Ronaldo Costa.

Na tentativa de estabelecer um diálogo com a sociedade sobre desenvolvimento sustentável e preservação do meio ambiente, “Meu Seridó” ainda conta com a parceria da ONG Sou do Amor, por meio do projeto “Sementes do Amor”. Em cada apresentação, sementes nativas serão distribuídas para o plantio, estimulando a arborização dos espaços públicos.

Foto: Brunno Martins.

Neópolis ganha espaça cultura com nome do professor Geraldo Evangelista

A partir desta sexta-feira, 24 de novembro, a praça Central do Conjunto Residencial Neópolis, em Natal (RN), ganhará um espaço cultural com nome do professor da UFRN Geraldo Evangelista (Geraldão) in memoriam. O ato inaugural terá início às 16h.

O espaço foi criado para fomentar a cultura do bairro, em que Geraldo Lucas, morou por grande parte da sua existência, que se encontra localizado à praça Centro do conjunto residencial Neópolis.

De acordo com informação da professora Socorro Evangelista, os convidados serão recepcionados pelo conjunto instrumental Sal da Terra, logo as 16hs.

Depois, o grupo de escoteiros da UFRN, que foi criado por Geraldo Lucas e o padre João Penha Filho, fará saudação ao público presente.