Arquivo da categoria: Cidadania

UFRN promove campanha de doação de cabelos e lenços

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza nesta terça-feira, 23, uma ação que pretende transformar fios de cabelo em fios de esperança. A comunidade em geral é convidada a participar da campanha de doação de cabelos e lenços, que acontece no Centro de Convivência da UFRN, das 8h às 11h e das 14h às 16h, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e o Serviço Social do Comércio (Sesc). A iniciativa faz parte do Mês do Servidor 2018, que neste ano aborda o slogan “Eu pelo mundo”, e faz alusão à campanha Outubro Rosa de prevenção ao câncer de mama.

Para doar os cabelos, é necessário ter comprimento que permita a retirada de pelo menos 20 centímetros e esteja, de preferência, seco e limpo. Uma equipe de profissionais formados no curso de Cabeleireiro do Senac será responsável pela coleta, corte e finalização do novo visual das doadoras. Quem não preencher esse requisito poderá contribuir com lenços. A arrecadação será encaminhada pelo Sesc para a Associação de Portadores de Câncer de Mossoró e Região, da qual faz parte o ateliê Amor em Fios, onde os cabelos serão adaptados para uso de mulheres em tratamento de câncer.

Advogados e usuários podem baixar aplicativo PJe Mobile do TJRN no celular

A partir desta quarta-feira (17), advogados e usuários dos sistemas da Justiça Estadual do Rio Grande do Norte podem utilizar o sistema PJe Mobile. Ou seja, por meio de smartphones, celulares e computadores, o cidadão pode acessar informações sobre processos que tramitam no Processo Judicial Eletrônico, de forma fácil e rápida. O aplicativo foi desenvolvido pelo Tribunal de Justiça RN em parceria com o Instituto Metrópole Digital (IMD), da UFRN, e os alunos da Residência Judicial em Tecnologia da Informação voltada para o ambiente jurídico.

“Este é um passo importante para modernizar o acesso do cidadão aos sistemas da Justiça potiguar, utilizando o que há de melhor em tecnologia de informática e inteligência artificial, inovando e apresentando novas possibilidades de acesso à informação para advogados e partes”, ressalta o presidente do TJRN, desembargador Expedito Ferreira, entusiasta deste projeto inovador e de uso prático para milhares de pessoas, que necessitam deste serviço.

“Acreditamos na produção do conhecimento e mais do que isso em projetos tecnológicos concretos, que as pessoas possam usar no dia a dia, é bom para a Justiça e melhor ainda para o cidadão”, reiterou Expedito Ferreira.

O aplicativo entra em pleno funcionamento, já disponível para download em dispositivos com os sistemas android e IOS. Em agosto, o PJe mobile foi apresentado a juízes e advogados que puderam avaliar a ferramenta e sugerir melhorias e ajustes para as próximas atualizações. Com isso, a equipe de tecnologia agregou ao aplicativo as principais sugestões feitas pelos usuários.

Agora, os advogados e as partes podem receber notificações sobre o andamento dos processos que eles favoritarem. É possível também associar o aplicativo ao calendário do celular, para notificações de futuras audiências, e ao aplicativo de mapas do celular, para facilitar a navegação até a unidade julgadora de escolha.

A versão móvel é para uso das pessoas que têm algum processo em trâmite na Justiça do Rio Grande do Norte. Os usuários terão acesso ao aplicativo com login e senha, por onde poderão acompanhar as movimentações do processo no PJe. “Uma verdadeira plataforma de consulta, acompanhamento e notificação, de forma móvel, mas esse é só o começo”, segundo o secretário de Tecnologia da Informação do TJRN, Gerânio Gomes.

A nova ferramenta possui diversas funcionalidades para tornar mais prático o acesso aos processos eletrônicos. Segundo o professor Itamir Barroca, diretor de Tecnologia da Inovação IMD, “o aplicativo é uma forma de aproximar essas informações do público de uma maneira rápida e prática”.

“Desenvolvemos o PJe Mobile para que o advogado possa acessar de forma mais prática e rápida os processos. O aplicativo não tem todas as funcionalidades do site PJe, mas é mais simples e o público pode, por exemplo, favoritar um processo e receber notificações direto no celular sobre ele”, informa Itamir.

Além de receber notificações de movimentações no processo, também é possível integrar datas importantes do julgamento no calendário do usuário, tanto no calendário Google, quanto no iCloud, já que ambas as plataformas, Android e iOS, receberam uma versão do aplicativo.

Contato com natureza traz benefícios às crianças

Interação com áreas verdes pode ser feita em parques, praças e até mesmo em espaços inusitados em grandes metrópoles

A infância de várias gerações foi marcada por brincadeiras no quintal, ruas, parques e praças. Aventuras que permitiam o contato com a natureza e a postura contemplativa e observativa. No entanto, nos últimos anos, estudiosos têm detectado comportamento diferente na infância das novas gerações. Richard Louv, jornalista e fundador do Movimento Criança e Natureza, alerta sobre o transtorno do déficit de natureza e chama atenção para os impactos negativos que essa mudança de cenário e a falta de contato com o meio natural podem acarretar na vida das crianças.

Para o doutor em Educação, pós-doutor no departamento de Psicologia Social da Universidade de São Paulo (USP) e membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza, Marcos Sorrentino, o contato com a natureza na infância ajuda a construir adultos emocionalmente mais saudáveis. “Desenvolver na criança essa capacidade de observar e ser atenciosa à vida é prepará-la para uma adolescência e uma fase adulta mais tranquila, menos estressada e menos neurótica”, analisa.

Mas, segundo o especialista, não basta apenas estar em contato com o meio ambiente, é preciso mudar a perspectiva. “Em geral, o contato com a natureza cria condições para que as crianças tenham momentos mais lentos de contemplação e observação, mas de nada adianta estar no meio natural se passamos pelas árvores, plantas e animais rapidamente. As crianças, assim como os jovens e até os adultos, precisam reaprender a usufruir desse momento com a natureza, deixando de lado esse modo de vida acelerado e hegemônico a que somos expostos na nossa sociedade”, ressalta Sorrentino.

Além disso, o contato com o meio ambiente desde a infância ajuda o fortalecimento do vínculo com o meio natural, garantindo uma conscientização mais profunda em relação à importância da conservação e do uso sustentável dos recursos naturais.

Natureza perto de nós

A interação com o meio ambiente pode ser feita em parques estaduais ou nacionais, praças, parques urbanos e até mesmo em áreas inusitadas em grandes metrópoles. “Quem mora em apartamento pode, por exemplo, fazer uma composteira, criar e ensinar a criança a cuidar das minhocas. Só de colocar a mão na terra e visualizar a transformação da matéria orgânica em húmus dá uma nova perspectiva à criança, um contraponto a um modo de vida alienante que distancia dos cuidados com a vida”, destaca o especialista.

Para Sorrentino, é preciso quebrar algumas resistências estimulando a curiosidade pela descoberta e valorizando a relação com o meio ambiente de forma natural, tanto na família como na escola. “Temos pais e mães extremamente distanciados dessa relação e, por isso, muitas vezes eles preferem ir ao shopping a passear em um parque. Precisamos criar pontes para que essa pessoa volte a se encantar com a natureza, com o contato da terra. Essa interação começa em casa, com o cultivo de vasos de plantas, ou na escola, com as hortas. Essas atividades ajudam a criar uma conexão com o meio ambiente”, finaliza.

Aos 30 anos, Constituição marca consolidação da democracia brasileira

Simbólico por ser a data de promulgação da Constituição Federal de 1988, o 5 de outubro também marca outro fato importante para a história brasileira. Além de garantir diversos direitos a toda a população, os 30 anos da Carta Magna marcam ao mesmo tempo o mais longevo período democrático do País.

Foi a partir das novas normas constitucionais que o brasileiro teve garantido o voto direto, secreto, universal e periódico, as liberdades individuais, manifestações políticas, a liberdade de expressão e de imprensa; o Estado passou pela separação dos poderes e o Brasil teve seu federalismo garantido.

“Por incrível que pareça, na história do Brasil, este é o momento de maior tempo de democracia plena e ininterrupta”, afirmou o ex-secretário-geral da Mesa da Câmara dos Deputados, Mozart Vianna, que trabalhou na elaboração da Carta Magna.

Direitos e deveres
Para a professora de direito constitucional do Centro Universitário de Brasília Christine Peter, a Constituição Federal de 1988 solidificou direitos, funções e papéis para cidadãos e instituições após 20 anos de um regime de exceção.

“Este é o momento de maior tempo de democracia plena e ininterrupta”
Mozart Vianna
“A Constituição de 1988 nasce envolta numa esperança difusa, de todos os brasileiros e brasileiras, de que os seus direitos fundamentais básicos, sejam individuais ou coletivos, serão perseguidos por todos, sejam agentes públicos, sejam atores privados”, disse.

Modificações
Para proteger os temas clamados pela população à época, os congressistas estabeleceram cláusulas pétreas, que não podem ser alteradas. Nestes 30 anos, ocorreram 99 emendas à Constituição e seis emendas de revisão ao texto constitucional.

“As emendas constitucionais são mais do que suficientes para lidar com as necessidades de adaptação do texto constitucional às mudanças da sociedade”, afirmou a professora.

Estudo aponta que 75% dos idosos usam apenas o SUS

Pela primeira vez, estudo traça o perfil da saúde do idoso, o uso dos serviços de saúde, as limitações funcionais, as causas de hospitalizações, entre outras condições sociais que vão permitir aprimorar as políticas públicas para esta população

No Dia Nacional e Internacional do Idoso, celebrado nesta segunda-feira (1º), o Ministério da Saúde divulga estudo com dados inéditos sobre o perfil de envelhecimento desta população no Brasil. O Estudo Longitudinal da Saúde dos Idosos Brasileiros (ELSI-Brasil) faz parte de uma rede internacional de grandes estudos longitudinais sobre o envelhecimento e traz informações sobre como a população está envelhecendo e os principais determinantes sociais e de saúde. A ideia é que esse estudo traga subsídios para a construção e adequação de novas políticas públicas para fortalecer a saúde do idoso.

O Elsi- Brasil apontou que 75,3% dos idosos brasileiros dependem exclusivamente dos serviços prestados no Sistema Único de Saúde, sendo que 83,1% realizaram pelo menos uma consulta médica nos últimos 12 meses. Nesse período, foi identificado ainda 10,2% dos idosos foram hospitalizados uma ou mais vezes. Quase 40% dos idosos possuem uma doença crônica e 29,8% possuem duas ou mais como diabetes, hipertensão ou artrite. Ou seja, ao todo, cerca de 70% dos idosos possuem alguma doença crônica.

“Nós temos que cuidar da saúde dos brasileiros desde a infância para que eles tenham uma vida cada vez mais saudável. Isso significa voltar nossas ações para uma alimentação saudável, para a promoção de atividades físicas, inibir o consumo do álcool e do tabaco, e ainda para as pessoas com idade acima de 60 anos, oportunizar o diagnóstico de doenças de forma cada vez mais precoce. É dessa maneira que podemos oferecer à nossa população um envelhecimento saudável”, afirmou o Ministro da Saúde, Giberto Occhi.

O estudo apontou também que 85% da população com 50 anos ou mais vivem em área urbanas. E entre os relatos sobre os hábitos de comportamento, 43% dos idosos acompanhados pelo estudo disseram ter medo de cair na rua.

“Mais de 80% da população se diz satisfeita com a atenção que ela recebe. Então ter um sistema público de saúde universal é extremamente importante. O SUS possui bons indicadores de resolutividade, então é necessário que se preserve o sistema que é modelo para o mundo. Se você melhora a condição de saúde da população, você também aumenta a longevidade no trabalho”, ressaltou a pesquisadora da Fiocruz Minas Gerais, Maria Fernanda Lima-Costa.

Evento sobre envelhecimento ativo prevê participação de 4 mil pessoas

A 3 Feira Vida Mais RN – Desafios do Envelhecimento Ativo deverá receber a visita de quatro mil pessoas nos dois dias de realização. A previsão é dos organizadores, que afirmam que quase todos os estandes de produtos e serviços já foram comercializados e que restam poucas vagas no auditório para as palestras. O evento será realizado nos próximos dias 27 e 28 de setembro no Holiday Inn Natal, das 9h às 20h, e antecipa a comemoração do Dia do Idoso (1º de outubro). 

 
Entre as atrações, haverá feira com estandes de produtos e serviços, lounge interativo com dinâmicas de grupo e oficinas, espaços com aferição de pressão e check-up vascular, entre outras oportunidades. Paralelamente à feira, em auditório formatado para 400 pessoas, haverá palestras, debates e mesas-redonda, nos dois dias, pela manhã e à tarde, sobre temas voltados para o envelhecimento ativo.
 
Alguns temas que serão abordados: “Pilares para a longevidade saudável”, “Planejamento para uma aposentadoria com qualidade de vida”, “Riscos do sobrepeso e da obesidade após os 50 anos”, “Depressão no envelhecimento: estratégias para preservar a saúde mental”, “A saúde bucal e seus impactos na autoestima”, “Dor e fragilidade: reconhecer e tratar”, “A influência da visão nos acidentes domiciliares” e “Ressignificar a arte de envelhecer”.  
 
Uma das palestras do evento tratará da “Violência contra a Pessoa Idosa” e estará a cargo de Fábio Moassab, diretor do Departamento de Políticas Temáticas dos Direitos da Pessoa Idosa, vinculado ao Ministério dos Direitos Humanos. Trata-se de um dos nomes mais respeitados, em Brasília, na questão que envolve os direitos dos idosos. 
 
Além da feira e das palestras, o evento terá uma interface festiva. No encerramento dos dois dias, entre 18h e 20h, haverá apresentações culturais a cargo do grupo folclórico do Sesc, Coral de João Câmara, espetáculo de dança da Casa Séfora, performances da Tuareg Casa do Oriente e show do grupo da Associação Brasileira do Clube da Melhor Idade (ABCMI-RN), entre outras atrações.
 
Mais um momento relevante do evento estará a cargo das oficinas vivas de artesanato, com artistas de vários municípios do Rio Grande do Norte. O material produzido in loco será exposto e colocado à venda. Vale lembrar que, embora voltado para o público com mais de 50 anos, o evento também recebe jovens que já planejam um envelhecimento saudável. 
 
A 3 Feira Vida Mais RN é uma realização da Argus Eventos e da Agência Lar, com apoio da Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas), Secretaria de Esporte e Lazer da Prefeitura de Natal, Unimed Natal, Simbios Care e DataShow.

Eleições 2018: Inscrições abertas para mesário voluntário

Nos preparativos para as eleições gerais, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) reforça a divulgação da abertura das inscrições de mesários voluntários para as eleições 2018. O período de inscrições começou no dia 28 de maio e vai até o dia 02 de agosto de 2018. Em seguida, as Zonas Eleitorais entrarão em contato com os seus respectivos selecionados até o prazo de 15 de agosto de 2018.

Como se inscrever

As inscrições podem ser realizadas no portal do TRE-RN – www.tre-rn.jus.br (Eleitor > Mesário>Mesário voluntário) ou clicando aqui: http://www.tre-rn.jus.br/eleitor/mesario/mesario-voluntario-1/mesario-voluntario

Os voluntários selecionados atuarão nas mesas receptoras de votos e justificativas das eleições de 2018, que ocorrerão no dia 07 de outubro de 2018. Eles serão responsáveis por organizar a seção eleitoral, identificar os eleitores e autorizá-los a votar, bem como operar a urna eletrônica, processar justificativas e conduzir, com tranquilidade, os trabalhos de votação.

Conheça as vantagens para os mesários voluntários

Há uma série de vantagens na participação do eleitor como mesário voluntário, inclusive a utilização de horas trabalhadas nos pleitos eleitorais como atividades extracurriculares, no caso dos universitários. A lista com as universidades que possuem convênio com a Justiça Eleitoral estão disponíveis aqui: http://www.tre-rn.jus.br/eleitor/mesario/convenios.

Os mesários voluntários também têm isenção da taxa de inscrição em concursos públicos promovidos pelo Governo do Rio Grande do Norte (Lei nº 9643/2012), pelo Município de Natal/RN (Lei nº 6336/2012) e pelo Município de Parnamirim (Lei nº 1687/2014).