Comunicação

Rendas brasileiras estampam a sétima emissão especial dos Correios


Nesta quarta-feira (7), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Renato Imbroisi, os Correios lançam a “Emissão Especial Rendas Brasileiras”. Realizado com apoio do Centro Sebrae de Referência do Artesanato Brasileiro – CRAB, o lançamento será transmitido no canal da instituição, no Youtube, a partir das 16h.

Os selos serão apresentados por Carlos Meles, presidente do Sebrae Nacional; Sérgio Malta, diretor de Desenvolvimento do Sebrae/RJ; Bruno Monteiro Portela, secretário especial adjunto de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia; e Floriano Peixoto, presidente dos Correios. Após as obliterações, Renato Imbroisi participará de um bate-papo ao vivo com a pesquisadora Silvia Sasaoka.

“Seja como expressão artística, meio de sustento ou apenas um hobby, a renda é um legado transmitido entre gerações, uma forma de perpetuar costumes, tradições e a própria história do Brasil. A emissão filatélica que está sendo lançada é, portanto, a celebração de uma das mais tradicionais atividades da cultura nacional”, destaca o presidente dos Correios, Floriano Peixoto.

A emissão – Nesta emissão, foram destacados quatro tipos de trabalhos:

·         Bilro – de origem portuguesa, muito presente em regiões litorâneas do Nordeste e de Santa Catarina. O tecido é produzido sobre almofadas cilíndricas, envoltas num papel grosso, no qual são presos alfinetes ou espinhos de plantas, formando o desenho da renda. Em cada fio de linha a ser trabalhado há um peso ou bilro, e as rendeiras os movimentam rapidamente, entrelaçando-os e tecendo a renda, produzindo uma percussão característica, pelo bater dos bilros.

·         Filé – a renda é feita sobre uma espécie de malha de linha que se assemelha a uma rede de pesca. Por essa razão, se diz que onde há pesca, se faz filé. Alagoas e Ceará são os principais núcleos produtivos.

·         Irlandesa – ao contrário do que pode parecer, não veio da Irlanda, mas a história conta que foi trazida e ensinada por freiras irlandesas. É tradicional da pequena cidade sergipana de Divina Pastora, a 34 Km da capital, Aracaju. Foi declarada Patrimônio Histórico em 2009, pelo IPHAN. A renda é produzida entre duas fitas cilíndricas que são presas sobre o papel onde se fez o desenho da peça.

·         Renascença – é parecida com a renda irlandesa, com a diferença que se usa uma fita plana, e não cilíndrica, chamada lacê. Há diferenças nos pontos, mas também se trabalha sobre um papel com o desenho da renda. A região do Cariri, na Paraíba, e o Estado de Pernambuco são os principais núcleos produtivos.

Com design e arte-finalização de Daniel Effi (Correios) e curadoria de Renato Imbroisi, os selos apresentam pontas de cada tipo de renda, que se juntam como se fossem uma peça só. Nas artes, foi aplicada calcografia branca, simulando as texturas das rendas. Com tiragem de 360 mil exemplares e valor unitário de 2º Porte da Carta (R$ 2,95), os selos estarão disponíveis para venda na loja virtual e nas principais agências dos Correios.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: