Pesquisa

Trabalho doméstico é segunda ocupação mais afetada no país

No mês de março de 2021, os episódios do Podcast Rasgaí do Programa de Pós-Graduação em Demografia da UFRN (PPGDem) tratam do tema desigualdade de gênero em referência ao Dia Internacional da Mulher. Para o episódio de número 17, que pode ser acessado em um dos serviços de streaming disponibilizados neste link, foi convidada a atuária e demógrafa, Luana Myrrha, que também é docente do PPGDem.

Luana fala sobre o resultado da pesquisa que investiga as condições de trabalho das empregadas domésticas no contexto da pandemia da covid-19 no Brasil. Os resultados mostram que grande parte dos patrões afastaram as funcionárias ou suspenderam o contrato durante o período para cumprir o distanciamento social.

Com a pandemia, o trabalho doméstico foi a segunda ocupação mais afetada no país. Segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD/IBGE), 90% dos trabalhadores domésticos são mulheres e antes da pandemia eram cerca de 6,3 milhões. No final de 2020 esse volume caiu para 4,6 milhões. Uma redução de 27% que afeta a vida de um conjunto expressivo de famílias onde a renda do trabalho doméstico é predominante.

A pesquisa foi aplicada entre os dias 25 de maio e 06 de junho de 2020, portanto, refletem a conjuntura da pandemia desse período. Uma segunda rodada de coleta de dados em 2020 ocorrerá nos meses de abril e maio de 2021 e estará disponível no site do Projeto DOMÉSTICAS UFRN. Acessando os dados do projeto é possível obter mais informações sobre a pesquisa, as publicações e os resultados da primeira rodada da pesquisa.

Por Vilma Torres – Agecom/UFRN.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: