Comportamento

Curso do Lais no AVASUS sobre Coronavírus chega quase 50 mil inscritos

Quase 50 mil pessoas se matricularam no curso Vírus respiratórios emergentes, incluindo o Covid-19, disponibilizado pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS/UFRN), em parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS). O módulo educacional, lançado há duas semanas, está disponível na plataforma AVASUS e é aberto para a população em geral. O curso pode ser acessado mediante este link.

De acordo com a equipe de suporte do AVASUS, ambiente virtual de aprendizagem do SUS desenvolvido pelo LAIS/UFRN, até as 18h da quarta-feira, 25, o módulo tinha 49.948 inscritos. Destes, 26.532 pessoas estavam certificadas, ou seja, finalizaram a atividade e já tinham direito ao certificado, o que equivale a mais de 50% do total de inscritos. Já na manhã da quinta, 26, o curso ultrapassou a marca dos 50 mil usuários.

“Nossa estimativa era de que no final de semana chegássemos a este número, mas a procura foi intensa ao longo da semana por parte dos usuários. Isto mostra que a população busca sempre informação de qualidade em situações como esta”, disse o professor Ricardo Valentim, coordenador do LAIS e um dos envolvidos no projeto. Vale salientar que o curso foi lançado no último dia 11 deste mês.

Os números chamam atenção ainda pela sua distribuição. Os estados com mais inscritos até o momento são o Rio Grande do Norte (1.977), São Paulo (1.330) e Minas Gerais (1.213). Por região, o Nordeste lidera com 6.653 inscritos. Há ainda usuários que não declararam seu estado de origem, bem como estudantes que vivem fora do Brasil, sendo estes dois grupos os maiores. Em relação aos acessos de outros países, há alunos nos Estados Unidos e em Portugal, além de vários países de outros continentes.

O papel da ciência

Para o professor Ricardo Valentim, o cenário de crise sanitária em que se encontra o mundo reforça a importância da pesquisa científica que é desenvolvida no Brasil. “São em situações como esta que informações de qualidade, embasadas em pesquisa científica, se fazem mais necessárias. A ciência tem papel fundamental em momentos de crise como o que o mundo enfrenta agora, e deverá ter ainda mais protagonismo nos próximos anos”, destacou o coordenador do LAIS.

Ainda de acordo com ele, o rápido crescimento do número de inscritos mostra a necessidade da produção de informação de qualidade. “As pessoas irão buscar informação de qualidade. E a informação de qualidade está onde se produz ciência, que é dentro das universidades e centros de pesquisa. A UFRN e as demais universidades do Brasil terão um papel fundamental daqui para a frente, porque sairão delas e de outros centros de pesquisa espalhados pelo nosso país e em todo o mundo as pesquisas que ajudarão a população a enfrentar esta pandemia e outras crises sanitárias que possam surgir nos próximos anos”, afirmou Valentim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: