Comunicação

Sebrae age para reduzir impacto do Coronavírus nos pequenos negócios

Diante do cenário de avanço do Coronavírus no Brasil, o Sebrae informa que está empenhado para reduzir os efeitos da pandemia (Covid 19) nas micro e pequenas empresas (MPE), que respondem por 99% dos negócios brasileiros e que mais geram emprego no Brasil (em 2019, as MPE responderam por mais de 730 mil vagas de trabalho). Neste sentido, visando acelerar o enfrentamento do problema e possibilitar mais rapidamente a retomada da agenda de desenvolvimento da economia, o Sebrae criou um grupo de trabalho e iniciou atuação junto às instituições setoriais e no atendimento direto aos empresários.

“A marca da micro e pequena empresa é a resiliência. Apesar de todas as crises recentes, os pequenos negócios geraram 12 milhões postos de trabalho nos últimos anos, respondendo por todo o saldo positivo de empregos no país. Verificamos não apenas o aumento da quantidade de empresas, que hoje totalizam 16 milhões de negócios, mas também do número de empregos, da massa salarial – que cresceu mais do que os salários pagos nas médias e grandes empresas, resultando em ampliação da produtividade e participação no PIB”, analisa o presidente do Sebrae, Carlos Melles. “Pânico é o medo associado à desinformação. Estamos confiantes que, com a orientação e apoio adequados, os empreendedores de MPE superarão mais este desafio”.

Pilares de atuação:

  • Orientação para a Rede de Atendimento Sebrae:

Estratégia: nivelar informações para adoção de medidas preventivas nos quase dois mil pontos de atendimento físico espalhados pelo país, priorizando o relacionamento com o cliente a distância e revendo o calendário de eventos presenciais e coletivos.

  • Orientação e apoio aos pequenos negócios:

Estratégia: apoiar os setores mais impactados pela doença, informar empresários e funcionários sobre medidas de prevenção e oferecer orientação gerencial e financeira diante do prejuízo provocado pelo Coronavírus, atuando em parceria com instituições que representam os segmentos afetados.

  • Articulação de políticas públicas e equacionamento do fluxo de caixa:

Estratégia: negociar ações para promover junto aos entes públicos e privados:

– prorrogação do prazo para pagamento de tributos

– liberação de linhas de crédito em condições especiais

– renegociação e alongamento de dívidas

– desoneração tributária

– ampliação da garantia de operações de crédito

– ampliação das possibilidades negociais da jornada de trabalho, por meio de home office, férias coletivas e banco de horas

– fortalecimento do Fundo de Aval da Micro e Pequena Empresa (Fampe)

 

Setores mais impactados: 

  • Pequenos negócios em processo de internacionalização
  • Desabastecimento de setores intensivos em importação:

Eletrônicos

Têxteis

Peças automotivas

  • Pequenos Negócios intensivos em atendimento ao público:

Turismo

Alimentação fora do lar

Feiras livres

Varejo tradicional

Serviços porta a porta

Economia criativa (shows, teatro, eventos esportivos e eventos em geral)

Serviços médicos e veterinários

Serviços de beleza, cuidados pessoais e estética

Serviços educacionais

Negócios situados em ruas de comércio, shoppings ou locais de grande circulação

Logística (incluindo e-commerce)

Serviços de delivery e transporte (coletivos e individuais)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: