FANTÁSTICO COLOCA ROBINSON FARIA NO OLHO DO FURACÃO

Por Isaías Oliveira ( Portal Foco Nordeste)

O programa Fantástico da Rede Globo desse domingo (11) deu destaque ao Rio Grande do Norte, só que mais uma vez pelo lado negativo, desta feita envolvendo uma suposta trama que teria como beneficiário o governador Robinson Faria.

Em vídeo vazado à imprensa, a ex-procuradora da Assembleia Legislativa Rita das Mercês recebe R$ 5 mil de um ex-assessor de Robinson para ficar de boca fechada na operação Dama de Espadas. Na ocasião, que se deu no apartamento de Rita das Mercês, o ex-assessor de Robinson, Adelson Freitas, tranquiliza a ex-procuradora dizendo que o governador está do lado dela, e que vai arcar também com os custos dos advogados no seu processo.

A ex-procuradora Rita das Mercês é delatora no caso de desvio de recursos públicos da Assembleia Legislativa  através da fabricação fraudulenta de “funcionários fantasmas” na folha de pagamento para encher os bolsos de parlamentares desonestos.

A operação Dama de Espadas investiga o atual governador Robinson Faria e mais outro ex-presidente da Assembleia, Ricardo Motta, o atual presidente Ezequiel Ferreira de  Souza, e mais os deputados estaduais Márcia Maia, Gustavo Carvalho, José Adécio, Raimundo Fernandes, Getúlio Rêgo e Nélter Queiroz. Também está sendo investigado o ex-deputado estadual e agora vice-prefeito de Natal, Álvaro Dias.

O Ministério Público estima que entre 2006 e 2011 foram desviados fraudulentamente da Assembleia Legislativa e dos cofres públicos, pela engenhosa manobra de “funcionários fantasmas”, o montante de R$ 5,5 milhões.

Diante da grande repercussão da matéria do Fantástico, o governador Robinson Faria divulgou nota criticando o vazamento do vídeo e tratando a reportagem como sensacionalista.  A nota do Governo do Estado trata Robinson Faria na terceira pessoa.

“O Governador Robinson Faria repele de forma veemente quaisquer referências ao seu nome em matéria veiculada na TV neste domingo (11). Entende se tratar de reportagem requentada e sensacionalista, que estranhamente continha material protegido por sigilo de justiça e com a clara intenção de pressionar o Poder Judiciário, além de alimentar o jogo político”.

“A reportagem não trouxe nenhum fato novo e  todo o conteúdo apresentado já é tratado no âmbito da justiça, sendo o único fato novo trazido pela citada matéria o vazamento ilegal e criminoso de um vídeo protegido por segredo de justiça. Sobre este fato, inclusive, o governador Robinson já solicitou instauração de um inquérito policial, a fim de identificar os autores deste vazamento criminoso”.

Em outro trecho da nota do Governo do Estado, o texto busca falar em Adelson na terceira pessoa. “O próprio Adelson já afirmou às autoridades que era amigo de muitos anos de Rita das Mercês, e que era agradecido a ela por ter lhe empregado na Assembleia Legislativa, que morava em apartamento de propriedade da mesma e que se encontrou com ela por este motivo e por conta própria. Adelson também já afirmou em depoimento que o governador jamais pediu que ele tratasse desse assunto com Rita das Mercês, isentando-o de qualquer culpa nesse episódio. Disse ainda que mencionou o governador na conversa para tentar tranquilizar uma amiga em pânico e que o dinheiro que ele a entregou era dele, Adelson, e destinava-se ao filho de Rita, o que também foi revelado na gravação, de forma bastante clara”.

Rita das Mercês diz que dinheiro era mesada

A ex-procuradora Rita das Mercês tem uma história diferente da nota do Governo do Estado. Ela diz que recebia sim mesada a mando de Robinson Faria para não falar da participação de políticos no esquema de fabricação fraudulenta de “funcionários fantasmas” na Assembleia Legislativa.

Rita das Mercês acusa Robinson Faria de ter recebido pelo menos R$ 100 mil por mês desviados da Assembleia até agosto de 2015, época na qual teve início a operação Dama de Espadas. Robinson foi presidente da Assembleia Legislativa entre 2003 e 2010, e vice-governador entre 2011 e 2014.

As denúncias feitas por Rita das Mercês colocaram o governador Robinson Faria no olho do furacão, levando o Ministério Púlbico Federal a desencadear a operação Anteros para investigá-lo por suspeitas de organização criminosa e obstrução da justiça.

Um dos vídeos da ação monitorada pela Polícia Federal e divulgado em rede nacional de TV, mostra Rita das Mercês reclamando de seus custos com o advogado. Adelson responde: “Ritinha, mas aquele negócio… Robinson pediu pra você: ‘Diga a ela que não, quem vai pagar sou eu'”.

Depois, Adelson diz: “Você tem o apoio da pessoa mais importante, que é Robinson. Pode ficar tranquila”.

A grande questão aí é se Adelson estava falando no respaldo do governador para enganar a Rita das Mercês e assim conformá-la, ou se realmente falando em nome do chefe do executivo do Rio Grande do Norte. O fato que fica claro é que Rita das Mercês não pretende pagar o “pato” da prevaricação com o dinheiro público sozinha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s