Exercício no inverno: o frio não é desculpa para o sedentarismo

Manter uma rotina de atividades físicas é uma atitude saudável que traz muitos benefícios para a saúde. Fortalecimento do sistema imunológico, melhora do tônus muscular, redução de risco de doenças cardiovasculares, perda de peso e aumento da boa disposição são alguns deles.

Para quem já pratica exercícios, na época mais fria do ano, o desafio é se manter motivado e disposto mesmo com chuva ou neblina. Mas para quem ainda não tem uma rotina de atividades regular, o desafio é achar inspiração para iniciar. A boa notícia é que não existe época ruim para ganhar saúde, e não é preciso esperar o verão voltar para botar o corpo em movimento.

Mas é importante lembrar que alguns cuidados são necessários. O Dr. Alex Sandro Freitas, médico ortopedista, explica que é muito importante não descuidar da ingestão de líquidos, porque a sensação de sede é menor nos dias frios. Ele explica que, “por conta das variações de temperatura entre frio e quente, é preciso ter cuidado com as roupas utilizadas durante a atividade, para que a temperatura corporal se mantenha adequada mesmo após o fim da atividade”. Essas dicas são valiosas para todas as atividades realizadas ao ar livre, e suscetíveis a condições desfavoráveis.

E como saber qual a melhor hora para se exercitar no frio? “Se a opção é por exercícios durante a luz do dia, a dica é fazê-los pela manhã, já que nesse período, o pôr do sol é mais cedo. Para isso, é importante que a refeição noturna seja composta de alimentos de fácil digestão para não atrapalhar o sono e deixar a rotina de ‘acordar para treinar’ mais viável de ser realizada”, ensina o médico.

Nunca dispense o uso do filtro solar! Os raios UVA e UVB continuam a agir mesmo com temperaturas baixas, e a regra de exposição ao sol do verão ainda se aplica no inverno: evite atividades externas entre 11h e 15h.

Se a preferência é por atividades na água, como a hidroginástica e a natação, o alerta é para que o corpo se mantenha seco e aquecido após o exercício. Esse cuidado evita a ocorrência de lesões de pele (como micoses), e auxilia na prevenção de reações alérgicas, resfriados, sinusites, pneumonias.

Para evitar cãibras (contraturas) e estiramentos musculares, Dr. Freitas reforça a importância do aquecimento e alongamento. “É importante realizar alongamentos pós-treino visando o relaxamento muscular e prevenção de possíveis processos inflamatórios indesejáveis. Também devemos dar importância à realização do aquecimento corporal antes de iniciar nossas atividades. Isso pode ser realizado de diferentes formas, como fazer alongamento também antes de uma caminhada, realizar uma caminhada antes de correr ou trotar, realizar pequenos saltos antes de uma partida de futebol ou basquete ou pedalar antes de fazer musculação, por exemplo”, lembra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s